Resenhas

Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (Jennifer E. Smith)

Boo com a edição Kindle
Roo com a edição Kindle #clickserendipity

Minha história com esse livro começou há alguns meses vendo um Book Haul da Mel em que ela mostrava a edição britânica e a americana.
Achei o nome curioso e talvez tenha sido basicamente isso que me chamou a atenção. A Mel parecia realmente gostar do livro; eu, por outro lado, vi nele uma história adolescente açucarada como “A Culpa é das Estrelas”, provavelmente menos triste. Coloquei o livro na minha lista de Livros Desejados no Evernote e deixei lá, esquecido, mas com a tag “- Comprar” caso sobrasse algum dinheiro. Mas ele não era o primeiro da fila e talvez o dia dele demorasse a chegar.

Em uma viagem a Brasília um recém-conhecido me contou sobre o Audible e como era possível sincronizá-lo com o Kindle através do Whispersync. Mas eu não conseguia fazer isso com meus livros em português e pensei que talvez fosse necessário um livro em inglês. Acabei escolhendo “The Statistical Probability of Love at First Sight”. Não consegui sincronizar mesmo assim mas acabei pegando uma amostra do livro em português.

Não costumo ler amostras, tenho algumas no Kindle e elas ficam lá, talvez, pra quando eu tiver um tempo. Mas hoje de manhã resolvi ler esta. A história é exatamente o que eu esperava. Amor adolescente açucarado. Eu sinto uma atração por esse tipo de livro, são os que eu leio mais rapidamente mas ao mesmo tempo são os que eu mais detesto. Deve ser porque acho que não estou mais na idade de ler esse tipo de livro. Aos 25 anos é esperável que eu esteja lendo os livros de adulto que eu levo semanas para terminar. Além disso, esses livros foram responsáveis pelas decepções amorosas da minha adolescência. Porque neles há sempre uma menina deslocada e estranha para a qual aparece um garoto muito legal. Eu sempre fui a garota deslocada e estranha mas os garotos que apareceram só pareciam legais. Apesar disso, resolvi dar uma chance ao livro. A leitura flui muito facilmente, é leve e gostosa.

Gostei por ele ter começado em um aeroporto. Adoro aeroportos e aviões. Mas decidi de fato que leria o livro até o final quando a personagem principal, Hadley, teve um ataque de pânico. Como uma pessoa que já teve mais ataques de pânico do que dedos para contá-los e que atualmente pesquisa o assunto, achei que seria interessante ler, anotar na minha lista de personagens com transtornos psiquiátricos, talvez indicar para um paciente. Sem querer (juro que foi sem querer!) cliquei no botão de comprar ao final da amostra. Como eu disse antes, não costumo ler as amostras que eu baixo para o Kindle e eu não sabia que podia comprar o livro pelo Kindle, achei que só através do site porque nem pelo app é possível. Quando você cadastra um Kindle, a Amazon te obriga a cadastrar aquela “compra com um clique” e o cartão de crédito cadastrado é da minha mãe porque eu só uso cartão de débito. Imaginem quão facilmente ela acreditou que eu tinha comprado o livro sem querer.

Mas voltemos ao livro. Continuei a leitura e os ataques de pânico da Hadley dão uma pequena contribuição à história. Ao que tudo indica, ela tem claustrofobia (uma fobia específica em que a pessoa se sente muito mal em ambientes fechados) e os ataques de ansiedade (alguns chegam a ser de pânico) são relativos a isso. Mas não leia o livro por isso. Melhor ler se tiver pais separados, acho que você vai se identificar mais. Eu não tenho pais separados e mesmo assim consegui me colocar no lugar dela e deve ser uma situação bastante desconfortável.

O livro se passa em 24h. É curto e completamente possível de se ler em um dia. Recomendo ler em aviões já que a história começa em um aeroporto. Se ele tivesse terminado uns 2 capítulos antes, eu teria achado a história muito mais interessante e teria dado 4 (ou quem sabe 5) estrelas para ele no Goodreads e no Skoob. Mas da maneira como terminou, eu dei 3 estrelas e me achei bem generosa. Um ponto positivo é que foi um pouco mais imprevisível que “A Culpa é das Estrelas” (tenho problemas com esse livro, eu soube o final quando o Gus disse que teve uma ‘pitada de sarcoma’, algo assim e não chorei no filme, o que as minhas amigas consideraram inaceitável).

Algo que eu curti bastante foram as citações de Charles Dickens espalhadas pelo livro. Ainda não li nada dele mas gostei bastante das frases, acabei escolhendo uma para o meu convite de formatura. Posso dizer que o encontro com esse livro está na lista de “serendipities”.

Eu adoraria ter a edição americana e a britânica para cheirá-las e colocá-las na minha estante e também para tirar fotos e postar aqui pra vocês, falando sobre o número de páginas, o tipo de papel, o que eu achei das cores da capa etc. Mas eu só tenho a versão ebook então vejam o canal da Mel no YouTube que ela fala desse e de vários outros livros (procurei o link mas não achei). O livro foi publicado no Brasil pela Galera Record.

Roo com a frase de abertura do livro #clickserendipity
Roo com a frase de abertura do livro #clickserendipity
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s